Os inventores estão produzindo métodos para impedir que a poluição plástica entre no oceano, retirando-a das vias fluviais.

Eles vêm em diferentes formas e tamanhos, e uma empresa holandesa acabou de criar um drone inspirado em tubarão-baleia que pode “engolir” 160 litros de resíduos.

Desenvolvido pela RanMarine em Roterdã, o projeto do drone era simples, mas com uma lista de verificação bastante longa. Ele tinha que ser automatizado, sem emissões, fácil de usar, econômico para implantar e manter, e ser capaz de limpar um ambiente de água doce sem prejudicá-lo.

O resultado é o WasteShark , que tem cerca de 1,2 metros de comprimento e captura silenciosamente o lixo em uma bandeja. Como o tubarão-baleia que forneceu sua inspiração, uma grade impede que qualquer coisa considerável entre em sua boca, até que detecte lixo e a grade seja abaixada.

Quando o drone está cheio, ele é levado de volta à beira da água, onde a bandeja pode ser facilmente removida e esvaziada em um receptáculo maior.

WasteShark

Um mundo de dispositivos de limpeza de rios

Existem todos os tipos de estratégias para capturar o plástico antes que ele polua o oceano. WasteShark é perfeito para lagos e outras lagoas grandes, onde o lixo geralmente se movimenta.

Outros desafios e estratégias existem em países ao redor do mundo. No rio Cooum, que atravessa a cidade de Chennai, na Índia, qualquer equipamento que a AlphaMERS Ltd. usou para planejar sua limpeza tinha que ser capaz de resistir à força de inundação das chuvas.

A solução foi uma malha de aço que é colocada diagonalmente no fluxo do rio, prendendo o lixo, mas permitindo que o tráfego de barcos passe sem perturbações. A Barreira de Lixo Flutuante (FTB) coletou 2.200 toneladas de plástico no primeiro ano. A AlphaMERS também desenvolveu drones que limpam derramamentos de óleo peneirando o lodo e separando-o da água dentro de seus corpos robóticos.

Da Itália, outra solução inovadora que é muito mais portátil e acessível para rios e canais menores. A Limpeza do Rio são pequenas boias ancoradas no leito do rio por amarras. Qualquer barco que passe pode derrubá-los de um lado para o outro, mas eles sempre retornarão à sua formação.

As soluções estão aumentando pelo mundo

Em Baltimore, Maryland, os moradores amam seu vizinho o “Sr. Trash Wheel” um moinho de água simples que recolhe lixo na foz de um rio e o despeja em uma barcaça flutuante. O coletor de lixo vem devorando milhões de quilos de lixo transportado pelo rio da cidade há anos e levou à criação de vários outros sistemas parecidos.

O holandês Bojan Slat, que há anos aumenta a conscientização sobre a Grande Mancha de Lixo do Pacífico e que agora está limpando-a, também está trabalhando para limpar os rios. Sua organização sem fins lucrativos, The Ocean Cleanup , sugere que 80% de todos os resíduos plásticos no oceano chegam através de 1.000 rios do mundo, e seu “Interceptor”, uma grande barcaça elétrica operada em terra ancora-se ao lado dos 50 rios mais poluentes do mundo, como o Klang na Malásia.

Lá, uma barreira se estende na diagonal, na metade do rio, para não impedir o tráfego de barcos, e o lixo é alimentado na boca do Interceptor, onde encontra uma esteira rolante. A esteira recolhe os resíduos e os despeja em um grande recipiente que, quando cheio, pode ser descarregado e recolhido pela maioria dos caminhões.

Em todo o mundo, as pessoas estão levando a sério a coleta de lixo e estão acertando. Com alguma sorte, a próxima geração contará com peixes, corais e humanos muito mais felizes.

Fonte: https://www.goodnewsnetwork.org/floating-drones-are-swallowing-tons-of-plastic-waste-before-it-reaches-ocean/

Deixe um comentário

× Posso te ajudar?